quinta-feira, 1 de abril de 2010

HISTÓRIA E EMANCIPAÇÃO

No século XVIII, mais precisamente em 1772, o Vale do Acaraú estava todo povoado. Fazendas de gado, de criação de outros rebanhos, plantações de milho, feijão, mandioca, algodão e outras culturas pontilhavam nas ribeiras do importante Rio Acaraú, também conhecido como Rio das Garças.
Neste mesmo século, o município de Acaraú perde grande parte de seu território com a criação da Freguesia de Nossa Senhora de Santana, hoje Santana do Acaraú, pela iniciativa do Pe. Antônio dos Santos Silveira a meio caminho de Sobral.
Morrinhos nasceu com a construção da capela do Sagrado Coração de Maria, cujo patrimônio se ergueu em terras doadas por Maria Alves Pereira, Miguel Francisco da Silveira e José Bonfim de Maria e Silva.
Miguel da Silveira, Diogo Antônio José da Silveira e Urbano José Maria Silveira eram imigrantes portugueses que aqui chegaram por volta de 1719. Posteriormente se juntaram a José Coriolano da Rocha, descendente dos Rochas da antiga Riachão, hoje Uruoca, Miguel José de Vasconcelos e Joaquim Lourenço de Vasconcelos para iniciar a construção da primitiva capela. Era um pequeno rincho coberto de palha de carnaubeira com um altar e a imagem do Coração de Maria que tinha uma coroa de ouro.
Coroa e imagem permaneceram na capela depois de muitas reformas feitas até 1942, quando foram doadas pelo então vigário de Marco ao Museu de Sobral.
Outrora Morrinhos era chamado de Alto das Flores, seu nome primitivo, devido às matas que ornavam o Morro da Boa Vista. De Alto das Flores passou a ser nominado para o atual a partir de 1900 por causa dos morros que circundam a cidade, Morros do Cafim e Zé de Paulo.
A vila progredia com construções residenciais, casas de comércio como lojas de tecido de José Ibiapina, Aristides Rocha; a mercearia de João Gualberto, padarias de João Pedro e Manuel Orcel e outras bodegas.
Com o desenvolvimento do município os chefes políticos incitaram um movimento para a criação de distrito e a 20 de dezembro de 1938, o interventor do Ceará, Francisco de Menezes Pimentel, assinava o decreto que elevava Morrinhos a distrito de Santana do Acaraú.
Após 25 anos, em sessão realizada no dia 13 de maio de 1957, com votação unânime dos vereadores de Santana do Acaraú, o projeto para emancipação foi aprovado e a 6 de setembro de 1957, o então governador Paulo Sarasate assinava a lei 3.798 criando assim o município de Morrinhos.

Fonte: Geraldo Silveira

 

Um comentário:

  1. Muito válido este material!Pesquisa para gerações de habitantes e pesquisadores!Parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir